6 jan

NovasFronteiras_logo_versao-para-fundo-claro
“Novas Fronteiras do Olhar”

Com o intuito de promover a dança contemporânea como um bem cultural acessível a todos, e fortalecer a diversidade e a ampliação dos horizontes artísticos e sociais para além dos rótulos a Cia Dança sem Fronteiras realizará em 2016 e 2017:

  •   Espetáculos
  •  Intervenções em espaços públicos
  •  Oficinas abertas e para profissionais
  •  Encontros- DANÇA E ARTE SEM FRONTEIRAS– UMA VIVÊNCIA DE ARTE E EDUCAÇÃO INCLUSIVAS
  •  Jam(s) de dança – Para Todos

Projeto contemplado pelo 19º Edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo

foto

flyer-e-eflyer-do projeto-todo

 

JAM no Teatro Sérgio Cardoso no dia 1/12/2015

Ações em Janeiro 2016

 

Participantes de diversas idades e habilidades na Oficina Aberta do projeto Novas Fronteiras do Olhar no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo).

 

O espetáculo Olhar de Neblina, no Teatro Sérgio Cardoso, recebe uma platéia com um jeito muito especial de assistir o espetáculo! (audiodescrição de Lívia Motta)

Ações de Fevereiro 2016

048_DSF_eflyer-encontro-e-oficina-mais-diferencas_V1-01

Mais informações visite o site do projeto Novas Fronteiras do Olhar https://novasfronteirasdoolhar.wordpress.com/

 

 

JAM

27 ago

JAM DE DANÇA PARA TODOS

As Jams serão conduzidas pela coreógrafa da Cia e realizadas com música ao vivo e participação do elenco.

Esta prática de improvisação coletiva tem o objetivo de possibilitar a participação de todos, incluindo pessoas de várias idades e com habilidades e caraterísticas físicas, motoras e intelectuais diversas.

 

 

Page in English

29 jun

Dança sem Fronteiras created in 2010 – (Dance without frontiers), as suggests in its name has as main aim to create opportunities for all to experience dance as a way of freedom of expression through the body that has no frontiers.

Dança sem Fronteiras brings together artists from different backgrounds and abilities incorporating different art forms to promote and make visible the dance that comes from the diversity of the performers. The company regularly performs in theatres and unconventional spaces creating site specific and dance-theatre pieces.

CVs

Company Dança sem Fronteiras

In 2010, in São Paulo, Fernanda Amaral, dancer, choreographer and teacher created and developed the Company DANÇA SEM FRONTEIRAS, bringing together together artists from different backgrounds and abilities incorporating different  art forms to promote and make visible the dance that comes from the diversity of the performers. The company regularly performs in theatres, unconventional spaces creating site specific, and dance-theatre pieces

In 2011 and 2012 held a series of improvisations and Jams at SESC Pinheiros with participants with mixed abilities. In 2011/2012/2013/2014 took part of the “Virada Cultura” a 48 hours event of performances and workshops in São Paulo and “Virada Cultura Inclusiva” at SESCs including Pompeia and Belenzinho. In 2013 performed at the festival SENCITY at MAM, at the International festival “Mais Sentidos” at the Teatro Sergio Cardoso and were award by the Prince Claus Fund for Culture and Development (Netherlands) to do a residency in the state school Alfredo Paulino (SP). The Company was also awarded with the PROAC for making a”OLHAR DE NEBLINA” a new performance and premier it. In 2014 developed and performed “Conexões “an urban intervention with 33 participants; dancers, actors, musicians and other participants. Pipoca Cine in collaboration with Dança sem Fronteiras and Cassa Navas made a documentary about the residency and project DANÇA SEM FRONTEIRAS at the school Alfredo Paulino. In 2015 in touring “OLHAR DE NEBLINA” running workshops and events at MAM (Museum of Modern Art of São Paulo)

 

 

 

olhar de Nebina circuito vozes do corpo e

Fernanda Amaral born in Brazil, lived in the UK for 20 years. DanceAbility Teacher Certificate, Founder and artistic director of the companies Patuá Dance and Dança sem Fronteira. She has a BEd Honors from Cardiff University- Academic dissertation – “The influence of learning other cultures through the arts on the understanding of one’s inherited culture.”

Fernanda received for her work and research many awards and sponsorship including; in “Prince Claus for culture and development” and PROAC São Paulo. In 2009 “Bonnie Bird”: new choreographer research by “Laban Centre” in London “, in 2000 Lisa Ulman “for training in Butho in France as well as awarded by the British Arts Council to develop and run numerous cultural exchanges, educational and artistic projects including the UK, Guatemala and Brazil. She studied dance and theatre in Brazil, Argentina, USA, France, the Netherlands and the United Kingdom. Her background includes classical ballet, body awareness, contemporary dance and DanceAbility

Fernanda performed and taught in places like Brooklyn Academy of Music Next Wave Festival–NY; Jacob’s Pillow, Philadelphia; Yellow Spring Institute Pennsylvania; Alverno College in Milwaukee; Walker Arts Center in Minneapolis; Marato del Espetacle, Barcelona, ​​Huzur Vadisi, Turkey, The Place, London; WOMAD Festival in Spain – Canary Islands, Prague, England, Ireland and Scotland, among others. Since 1986, she teaches dance classes in Latin America, the US and Europe in universities, schools, conferences and various festivals.

In 1993, she founded Patuá Dance Company in Wales, and in 2005 created the Patuá DanceAbility, with dancers with and without disabilities performing at Wales, England and Brazil. In 2010, she founded the project and company DANÇA SEM FRONTEIRAS in Brazil.

 

COMPANY DANÇA SEM FRONTEIRAS SCHOOL RESIDENCY

The company did an artistic residency in a state school during 2013-2014 funded by Prince Claus Fund.

Through this residency, many people that had never seen much dance or experienced it had the chance to have contact with it and with the whole creative process involved in making a dance performance, and to appreciate the final result. Also all the young people involved in the project learnt a lot about their bodies and how they could explore and expand their own physicality and capacity to express through the body. Participants also developed an understanding and tolerance to each other’s differences and came to realize that we are all different no matter how but with the same rights to express ourselves and to dance.

For all the professionals involved in it was incredible to see how all pupils changed during the whole project and how they developed their attention and capacity to listen.

PERFORMANCES:

“OLHAR DE NEBLINA” (mist look)

This dance-theatre piece were inspired by the work of Evgen Bavcar a Slovenian photographer and philosopher who lost his sight with 12 years old, and on his book “Merorias do Brasil” organized by Elida Tessler and João Bandeira.

In Bavcar´s work, one of the striking features is the composition of light in contrast to fully dark environments and often he uses the multi-expositions technique. As in Bavca´s work, the performance “OLHAR DE NEBLINA”, has the lighting as a key element to drive and play with the eye and perceptions of the spectators. The images constructed by the bodies of the dancers and objects seeking to instigate another way of seeing.

The photographic process itself also serves as inspiration, a parallel with the stage space as a darkroom, where when the light enters reveals the image. The dark shadows and fog – effect produced by light and large transparent curtains all over the stage – reproduce the way to see of some of the dancers.

Performance off 60 minutes long.

foto

NA MESMA CENA (in the same scene) 

Performance for open air spaces.

Through the choreographies and improvisations the choreographer and the dancers create a diverse landscape where dancers with and without disabilities compose and design with the environment and invite the public to interact with them.

The performance uses a methodology developed in past twenty-five years by the choreographer Fernanda Amaral,  who incorporates elements of Contemporary dance techniques, Contact Improvisation, DanceAbility and Dance-Theatre. The performance creates a dialogue between the public space, the public and the dancer with mixed ability, focusing on equality.

The presentation has a soundtrack composed for each site specific performed live.

Workshops:

The company offers workshops for adults and children with all ages and abilities as well as long term residencies and perform making situations and DanceAbility workshops with DanceAbility teacher certificated for 10 years (Fernanda Amaral).

NEWS:

For the 19 edition of  the “Fomento à Dança” , the company Dança sem Fronteiras (Dance without Frontiers) has been selected to develop and deliver the project called “Novas Fronteiras do Olhar” (New frontiers of the gaze). The company will be founded during 20 months from October 2015 to October 2017. The company  will develop a new performance for outside spaces (Frestas do Olhar- Gaps of the gaze), tour to public theatres with the stage performance  “Olhar de Neblia” (Fog Looking), deliver workshops promote debates and Forums, at the end of the 20 months to create and publish a photo book and a video of the whole project.

“Fomento à Dança” it is an important grant/ incentive for the professional dance scene of São Paulo city created in September 2006, to allocate resources for research, production, circulation and maintenance for contemporary dance companies established in the city, for at least three years, creating contemporary dance and working for the diffusion, reflection and formation of new audiences. The program’s main objectives are to support groups, selected, on their continuous work in contemporary dance and to disseminate the artistic production of independent dance and to promote people’s access to artistic production. This grant supports a number of professional efforts for which the primary motive is to spread the work and debates related to the universe of dance and its many connections.

The program has been promoting the creation and circulation of shows, meetings, workshops, residencies, exhibitions, laboratories, lectures and other actions focused on socio-cultural reflection and inclusion, with the participation of directors, choreographers, dancers, researchers and thinkers of today. The “Fomento à Dança” has contributed to the production and dissemination of dance in the city of São Paulo.

NA MESMA CENA

13 maio

NA MESMA CENA

MAM ( Museu de Arte Moderna de São Paulo) – 11/04/2015

Através da dança, a coreógrafa e os bailarinos conduzem a criação de uma paisagem diversa onde bailarinos com e sem deficiências dançam e atuam juntos as esculturas do jardim do MAM e convidam o público a interagir com as obras. A intervenção utiliza uma metodologia desenvolvida nos últimos vinte e cinco anos pela coreógrafa que incorpora, elementos das técnicas de dança contemporânea, Contato Improvisation, DanceAbility e dança-teatro, dialogando com o espaço público as obras e o público usando como elemento de criação os diferentes potenciais do espaço e das obras  assim como as  habilidades dos bailarinos,  focando na igualdade e na quebra de paradigmas.A apresentação conta com uma trilha sonora composta para o espetáculo site specific tocada ao vivo.

Fotos: Karina Bacci

NA MESMA CENA tem como objetivo abordar, de forma poética, o desenvolvimento de um novo OLHAR ao espaço urbano e seus habitantes sejam eles com ou sem “deficiências”, estimulando a reflexão e o desenvolvimento de novas formas de expressão. Assim como de levar plateias variadas a assistirem um trabalho contemporâneo de dança com bailarinos com e sem deficiência.

Desde os anos 90, Fernanda Amaral desenvolve uma pesquisa de linguagem com habilidades mistas, dança contemporânea, intervenções, trabalhos Site Specific e performances. Seu trabalho incorpora elementos das técnicas de dança contemporânea, contato-improvisação, DanceAbility e dança-teatro. Fernada usa como elemento de criação as diferentes habilidades e potenciais dos bailarinos,  focando na igualdade e na quebra de paradigmas, primeiramente com Patuá Dance, premiada companhia de dança-teatro criada por ela no País de Gales e  desde 2010 com a Cia Dança sem Fronteiras.

As apresentações contam com uma trilha sonora composta para o espetáculo tocada ao vivo pelos músicos da Cioa Dança sem Fronteiras Beto Sopleder e Daniel Muller, também membros do grupo intrumental A Deriva.

Apresentações em parques da cidade de São Paulo ; na programação SP Cultura da Secretaria Municipal de Cultura

IMG_9266325775608_resized

Mídia

27 fev

Algumas matérias

untitled-21311

 

 

Residência

10 ago

O projeto e Cia Dança sem Fronteiras realiza residência artística na Escola Estadual Alfredo Paulino

Em 2013 a Cia Dança sem Fronteiras  foi selecionada  em um Edital da Prince Claus Fund for Culture and Development (Holanda) para desenvolver uma residência artística  em uma escola pública de São Paulo.

O Edital garante verba para  desenvolver um projeto na Escola Estadual de Tempo Integral Alfredo Paulino, no Alto da Lapa, com os estudantes do ensino fundamental. A companhia está presente na escola fazendo um projeto piloto desde maio de 2012.

O projeto premiado começou em outubro e 2013 e se estenderá até novembro de 2014, com três dias de atividades semanais na escola. A companhia oference oficinas de dança para as crianças e elas assistem  a ensaios e convivem com toda a equipe da Cia Dança sem Fronteiras incluindo  bailarinos – de habilidades mistas – e com uma forma de dança contemporânea não muito conhecida por elas, baseada em técnicas de improvisação.

A ideia é realizar uma residência artística, não um projeto de arte-educação, mas sim levar efetivamente a arte para dentro da escola com a convicção na relevância do contato com o processo artístico na formação infantil.

A companhia também ganhou o prêmio Proac de produção de espetáculo inédito e temporada do espetáculo “OLHAR DE NEBLINA”. Os ensaios e preparação desde espetáculo ocorrem na escola e a Cia realiza ensaios abertos para os alunos e funcionários.

“A companhia paulista Dança sem Fronterias, em trabalho de um ano e meio, inseriu-se no cotidiano da escola pública Alfredo Paulino, através de suas ações pedagógicas- aulas e encontros com alunos, professores e convidados- mas sobretudo através de seu trabalho de criação, por todos presenciado através de ensaios e produção de uma obra inédita-  Olhar de Neblina, apresentada, em dezembro de 2014, para toda a escola.

Como um espetáculo de “dança para todos”, Olhar de Neblina parte de uma proposta estética que, abordando  diferenças, a elas não faz concessões, na busca de uma arte profisisonal para a cena contemporânea.  Para tanto, seus multiplos artistas não dançam somente sobre seus desafios mas atuam sobre temas que poeticamente atravessam desafios de todos nós.

Toda esta atividade, que incluiu até mesmo a apresentação dos alunos em teatro municipal da cidade de São Paulo (dezembro/2013, Sala Paissandú, Galeria Olido), transoformou a residência em um fundamental momento de arte e estética dentro da escola. Ao seus espaços de inquietações, construiu diferenças para todos, rompendo fronteiras.”

(Cássia Navas –  Consultora e curadora de mostras e programas em dança, é escritora e professora-pesquisadora do Instituto de Artes/UNICAMP, doutora em comunicação e semiótica (PUC/SP), pós-doutora em artes (ECA/USP) e especialista em gestão e políticas culturais (UNESCO/Université de Dijon/Ministère de la Culture/France). CASSIANAVAS, NA REDE: www.cassianavas.com.br )

Residência Artistica na escola Estadual Alfredo Paulino em São Paulo – verba Prince Claus Fund for Culture and Deveolpment(http://www.princeclausfund.org/)

Escola Alfredo Paulino (http:/www.eealfredopaulino.blogspot.com)

OLHAR DE NEBLINA –

18 jul

 

_MG_1978

O espetáculo OLHAR DE NEBLINA é inspirado na obra de Evgen Bavcar, fotógrafo e filósofo esloveno que perdeu a visão aos 12 anos e, mais especificamente no livro MEMÓRIA DO BRASIL, também de Evgen Bavcar (organização de Elida Tessler e João Bandeira).

OLHAR DE NEBLINA estabelece um paralelo entre o conceito de que a fotografia não pertence somente a quem vê e a construção coreográfica que parte da individualidade dos intérpretes de habilidades mistas e formações diversas. Na arte da fotografia, geralmente, é ressaltado o papel do “olhar” para que a imagem seja captada e avaliada tanto no momento que a antecede como no momento da captação. Evgen Bavcar alega, com frequência, que a fotografia não é exclusividade de quem enxerga. Em seu trabalho, uma das características marcantes é a composição da luz em contraste com ambientes totalmente escuros.

No escopo identitário e imagético de OLHAR DE NEBLINA, a fotografia também esta conectada a noção de um “ver-através-da-palavra” através do qual o toque e as múltiplas alternâncias sensoriais permitem uma experimentação sem limites.

Por intermédio de uma lembrança residual das paisagens e dos corpos, o olhar migra constantemente por territorialidades sem fronteiras.

_MG_1952 _MG_2093 _MG_2126 _MG_2166 ESPETÁCULO – OLHAR DE NEBLINA – direção e coreografia Fernanda Amaral

Versão III

Olhar de Neblina IV Versão 2016

No Centro Cultural São Paulo maio 2016 – evento Acesso Livre

 

Versão II – espetáculo em outubro 2015 no Centro de Referência de Dança de São Paulo – Fotos Ricardo Teles

2014

2015

Ensaios:

FABRICAS DE CULTURA – SP 2015

FICHA TÉCNICA  Coreógrafa e bailarina: Fernanda Amaral Bailarinos: Camila Rodrigues do carmo (bailarina clássica e contemporânea) Beto amorim  (bailarino contemporâneo e ator) Lucineia dos Santos (atriz e dançarina com baixa visão) Rafael Barbosa  (dançarino com sindrome dos ossos de vidro) Zilda Gonçaçvez (atriz cega) Dramaturgia: Teresa Athayde Consultoria Literária: Ricardo Barberena Trilha Sonora: Beto Spoleder e Daniel Muller (integrandes do grupo Aderiva) Fotógrafo: Ricardo Teles (imagens parte do espetáculo) Figurino cenografia: David Schumaker Iluminação: Rafaela Ramitelli Produção:Dança sem Fronteiras Produtora Executiva: Cau Fonseca Produtor Assistente: Guilherme Funari.

“Como um espetáculo de “dança para todos”, Olhar de Neblina parte de uma proposta estética que, abordando  diferenças, a elas não faz concessões, na busca de uma arte profisisonal para a cena contemporânea.  Para tanto, seus multiplos artistas não dançam somente sobre seus desafios mas atuam sobre temas que poeticamente atravessam desafios de todos nós.” Cássia Navas – Consultora e curadora de mostras e programas em dança, é escritora e professora-pesquisadora do Instituto de Artes/UNICAMP, doutora em comunicação e semiótica (PUC/SP), pós-doutora em artes (ECA/USP) e especialista em gestão e políticas culturais (UNESCO/Université de Dijon/Ministère de la Culture/France). CASSIANAVAS, NA REDE: www.cassianavas.com.br .

R7_edited-1         Olhar de Neblina - Kult Me - 01.10 Olhar de Neblina - Metrô News - 14.10jairo marques