Dança sem Fronteiras – Introdução

DANÇA SEM FRONTEIRAS inicia suas atividades em 2010, quando a gaúcha Fernanda Amaral, coreógrafa, bailarina e educadora retoma no Brasil o trabalho que vinha desenvolvendo há mais de duas décadas na Europa e nas Américas com uma série de ações que dão continuidade à sua investigação e pesquisa acerca da diversidade e das habilidades mistas na dança.

Todas as atividades da companhia Dança sem Fronteiras são realizadas com uma abordagem na cultura corporal do movimento acessível a todos acolhendo a diversidade dos participantes. A metodologia da Dança sem Fronteiras enfatiza o potencial de todos os participantes com o foco na criatividade e igualdade. A companhia trabalha com o processo de improvisação na dança e utiliza técnicas de consciência corporal, improvisação, dinâmicas de dança-teatro e DanceAbility.

Todos os projetos da Dança se Fronteiras  são idealizado e realizados com o objetivo de promover a dança contemporânea como um bem cultural acessível a todos, fortalecendo a diversidade e ampliando os horizontes artísticos e sociais para além dos rótulos, para questionar fórmulas e preconceitos sobre “dança”, “deficiência” e “profissionalismo”, e gerar interesse na abordagem inclusiva do trabalho que a companhia vem desenvolvendo no Brasil assim como para estabelecer novos contatos e parcerias.

DANÇA SEM FRONTEIRAS desde sua criação, realiza oficinas de dança e apresentações em teatros, museus em diversos SESCs da capital e interior, além de participação nos festivais Sencity no MAM, Vozes do Corpo e Mostra Internacional Mais Sentidos no Teatro Sérgio Cardoso. A Cia. foi contemplada: em 2013 pelo Prince Claus Fund for Culture and Development (Holanda) e com o ProAc de Produção de Espetáculo de Dança com OLHAR DE NEBLINA. Em 2015 pelo 19º Edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo, com o Projeto Novas Fronteiras do Olhar com Oficinas, Jams, Encontros, Fóruns, circulação de espetáculos e a estreia do espetáculo FRESTAS DO OLHAR em setembro 2016. Em 2017 a Cia foi contemplada com  23º Edital de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo com o projeto Dança sem Fronteiras e suas interlocuções com a cidade, que envolve criação e circulação do espetáculo Olhares dos Sapatos e oficinas, Jams e residências de março à novembro de 2018.

 

Anúncios